segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Procon orienta sobre tempo de espera na fila dos bancos

Esse é o período do mês em que acontecem as maiores queixas dos consumidores...
O Procon/Campos volta a destacar que os consumidores que forem obrigados a permanecer nas filas das agências bancárias por tempo acima do estipulado em lei (lei municipal nº 6.652/1998 e lei estadual nº 4.223/2003) podem acionar o órgão e solicitar a presença de um fiscal ou também podem abrir uma reclamação em face do banco. Esse é o período do mês em que acontecem as maiores queixas dos consumidores.

As agências bancárias são obrigadas a oferecer cadeiras de rodas para pessoas com dificuldade de locomoção, caixas eletrônicos adaptados, assentos para pessoas com necessidades especiais e idosos, banheiros individuais, bebedouros, etc. Nos últimos meses, a equipe de fiscalização visitou todas as agências bancárias da cidade e autuou várias delas. As denúncias podem ser feitas por meio do telefone 151 ou os consumidores podem se dirigir ao órgão com a senha do banco autenticada, para abertura de processo administrativo.

Os fornecedores bancários devem ser mais atenciosos com seus clientes/consumidores. A extrapolação do prazo razoável para a prestação do serviço, sem justificativa plausível, configura má prestação do serviço, portanto, passível de autuação dos órgãos de defesa do consumidor. Além disso, o cansaço físico e o desgaste emocional que sofre uma pessoa quando é obrigada a esperar por 30, 45 minutos e mais de uma hora numa fila é uma afronta à dignidade do consumidor.

Além do processo administrativo no Procon, os consumidores podem acionar os bancos judicialmente, caso entendam que sofreram algum dano material ou moral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário