sexta-feira, 4 de outubro de 2013

20ª Semana do Saber Fazer Saber terá viagem pelo corpo humano

O evento é aberto para todos, que podem observar e tocar em réplicas de coração, pulmão e fígado.

Um espaço voltado para o conhecimento do corpo, com representações de órgãos, tecidos e músculos em textura e forma reais, é uma das principais atrações da 20ª Semana do Saber Fazer Saber, do campus Campos Centro do Instituto Federal Fluminense (IFF). Com o projeto “Célula ao alcance de todos”, os visitantes podem, por meio do tato, transformar teorias e descrições sobre o corpo humano em uma aula prática.

Orientados por estudantes e professores, as pessoas interessadas e os alunos das redes municipal, estadual e particular de Campos e região, entre os dias 23 e 25 de outubro, das 14h às 20h, terão a oportunidades de conhecer projetos desenvolvidos pelos corpos discente e docente do IFF.

Além do Espaço Célula, resultado de uma parceira entre o IFF e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), outro objeto que poderá ser visto durante a feira é uma bengala, que indica ao deficiente visual o local em que ele se encontra. Por meio do contato entre a bengala e o piso tátil, são ativados sensores conectados a um aplicativo do celular, que é responsável por informar o lugar onde os alunos estão. Esse projeto foi criado pelos professores David Vasconcelos e Marília Gonçalves e alunos do curso técnico de Informática.

De acordo com David, a ideia de construir a bengala surgiu em 2011. “Eu tive, em apenas uma turma, seis alunos que eram deficientes visuais. Como nem todos conheciam a escola, eu percebi que algo deveria ser feito”, explicou. E, em dezembro de 2011, um grupo de professores e estudantes começou a desenvolver o projeto, que foi parcialmente concluído em junho de 2013. “Agora, faltam alguns detalhes para aperfeiçoar a bengala”, afirmou.

Robôs construídos por estudantes do IFF também farão parte da feira. Em uma pista, um deles caminha sobre uma fita isolante preta. “Nesse caso, ele foi programado para se locomover por um percurso de cor diferente. Por exemplo, se o chão for verde e houver uma fita branca, ele caminhará sobre ela”, explicou David, ressaltando que também será apresentado outro robô comandado pelo celular, por meio do sistema Android.

Para o diretor do campus Campos Centro, Jefferson Manhães de Azevedo, a Semana do Saber Fazer Saber é uma maneira de fazer com que os jovens conheçam e se interessem pela escola. “Além de permitir que a comunidade saiba como é investido o dinheiro que recebemos, nosso objetivo é apresentar a escola para estudantes, principalmente dos 8º e 9º anos, e incentivá-los a estudar na instituição”, explicou.

Criada em 1987, a semana engloba atividades tecnológicas e culturais, como música, teatro e exposições. “Também queremos mostrar à sociedade que, além das iniciativas científicas, os estudantes são preparados com arte e cultura. O IFF visa oferecer uma educação geral aos futuros profissionais”, garantiu Jefferson.

Nenhum comentário:

Postar um comentário