sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Pescadores da Colônia Z-27 de Quissamã recebem apoio do Pronaf

Barra do Furado foi o local escolhido para oficializar os contratos de empréstimo obtidos pelos pescadores
da Colônia Z-27, em Quissamã, junto ao Banco do Brasil. Nesta etapa, 14 pescadores artesanais passam a contar, por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar-PRONAF, com liberação financeira para à aquisição de embarcações, ou investimentos em material.
Na oportunidade, o prefeito Octávio Carneiro, , o vice-prefeito e secretário de Fazenda, Nilton Pinto, a secretária de Desenvolvimento Econômico e Urbanismo, Carla Cabra e o secretário de Agricultura e Pesca, Jorge Penha, se encontraram com o Superintendente Regional de Varejo do BB, Gerência Regional Niterói, Ronaldo Alves Oliveira. Também estavam presentes, o gerente de Relacionamento, Alexandre Gimenez, o gerente da Agência Quissamã, Carlos Rômulo e a presidente da Colônia de Pescadores Z-27, Rosemary Ribeiro.  
O extensionista rural da Emater, Salvador Batista, explicou que a secretária municipal de Agricultura e Pesca é responsável pela avaliação dos interessados no aporte financeiro. “O pescador artesanal é qualificado como agricultor familiar junto à EMATER, fato que torna possível a obtenção da declaração de aptidão ao PRONAF”, disse Batista.
No período de janeiro a outubro deste ano, 34 pescadores receberam empréstimos para a aquisição de embarcações e outros 34 com direcionamento na compra de material. Respectivamente, com R$ 1.838.210, 00 destinados à embarcações e R$ 276.400,00, na aquisição de material.
O valor máximo permitido para empréstimo é de R$ 150 mil, com juros anuais de 2%, carência de 2 anos e prazo de 5 anos para  pagamento.          
Para o pescador da Colônia Z-27, Luciano Nunes, a possibilidade de comprar uma embarcação vai aumentar a renda familiar. “Além de passar a trabalhar por conta própria, a aquisição do barco vai trazer benefícios como a melhoria das condições de trabalho”, avaliou.
Na opinião do Prefeito Octávio Carneiro, a pesca deve ser observada como um setor importante da economia. “A atividade deve ser olhada com entusiasmo para que os pescadores e suas famílias possam obter sustento e movimentar a economia local”, enfatizou.       
Ao final da assinatura dos contratos os pescadores assistiram a um vídeo explicativo do novo projeto do Complexo Logístico e Industrial Farol/Barra do Furado e tiraram dúvidas com a secretária de Desenvolvimento Econômico e Urbanismo, Carla Cabral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário