sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Aeroporto em Farol - Estatal poderá retomar projeto

Ao que tudo indica, a Petrobras vai mesmo tirar do papel o projeto de construção do Aeroporto do Farol de São Thomé.
O projeto, que existe desde 2006 e chegou a ser apresentado em audiência pública em Campos, em 2008, tinha previsão de ser inaugurado este ano, mas acabou engavetado. Agora, com a estatal dando início à exploração do petróleo do pré-sal, o empreendimento pode ser retomado. Por sua localização privilegiada, o aeroporto também pode  atender ao transporte aéreo dos passageiros para as plataformas de exploração e produção da Bacia de Campos. Consultada a Petrobras não se manifestou sobre o projeto, porém, no Diário Oficial do Estado do Rio, do dia 13 de fevereiro deste ano, o governo estadual autoriza o DER-RJ construir um acesso ligando a RJ 216 ao aeroporto.
O projeto inclui pista de pouso e decolagem para aviões de grande porte e helipontos para helicópteros. Também serão construídas outras instalações, como pistas de táxiamento, área de estacionamento e de manutenção de aeronaves, setor  comercial, operacional e administrativo, além de estacionamento de veículos e torre de controle. O prédio do terminal de passageiros terá uma área construída e nove mil metros quadrados, devendo atender um movimento anual de até um milhão de passageiros.
O aeroporto será construído uma área de 3,6 milhões de metros quadrados, de propriedade da Petrobras no Farol, o que viabiliza economicamente o empreendimento. Além disso, sua localização será em um ponto estratégico, que resultará em voos mais curtos e em um número menor de horas para as plataformas e reduzirá, assim, os custos da empresa com combustíveis e manutenção das aeronaves.
O aeroporto foi alvo de diversos estudos por parte da Petrobras para buscar as melhores opções. Algumas alternativas foram avaliadas para o transporte de passageiros até às plataformas da Petrobras: ampliação do Heliportoem São Thomée as utilizações dos aeroportos de Campos e Macaé. Entretanto, nenhuma das três alternativas estudadas apresentou-se viável à estatal.
Um milhão de passageiros por ano
O Aeroporto de Farol de São Tomé ficará localizado no km 45 da RJ 216, na localidade de Boa Vista. A pista terá 1,5 mil metros de extensão, com cabeceiras de250 metros, podendo receber modelos do porte de  Boeings 737. O projeto prevê a também construção de um pátio de estacionamento de aviões de120 mx80 m.
Para as aeronaves de asa rotativa (helicópteros), o pátio de estacionamento terá514 mx372 m, comportando 40 vagas. A torre de controle terá25 metrosde altura e com condições de operar 24h.  
Para os helicópteros, estão previstos 8 hangares, e uma área de teste de motores denominada de run-up, reservada somente para a manutenção dos motores dos helicópteros.
O prédio de maior destaque do aeroporto é o Terminal de Passageiros. Esse prédio ocupará uma área de aproximadamente 9 mil metros quadrados, devendo atender um movimento anual de até um milhão de passageiros.
Em atendimento aos usuários que deixarão seus veículos no aeroporto, enquanto trabalham nas unidades marítimas, um pátio de estacionamento será construído com capacidade para 342 vagas de automóveis e 8 vagas para ônibus e vans.
Obra prevê abertura de 600 postos de trabalho
De acordo com o Relatório de Impacto Ambiental apresentado pela Petrobras, a implementação do Aeroporto do Farol contribuirá para o desenvolvimento socioeconômico da região, através da geração de impostos, taxas e royalties para os governos federal, estadual e municipal. Além disso, deverá gerar empregos diretos e indiretos.
É prevista, durante a fase de obra, a geração de 600 empregos diretos e indiretos e, durante a fase de operação, uma média de 300 postos de trabalho, além do estímulo à abertura de novos postos de serviços indiretos, como alimentação, aluguel, hospedagem, transporte, etc. Segundo o relatório, parte destes empregos deverá ser preenchida pela população da região que tiver a qualificação necessária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário