quarta-feira, 4 de junho de 2014

Torre projetada por Gustave Eiffel em Farol recebe reformas

Quem passa pelo Farol de São Thomé não imagina que aquele monumento, com 46 metros de altura, foi projetado pelo arquiteto Gustave Eiffel, o mesmo que idealizou a Torre Eiffel, de Paris, e a Estátua da Liberdade, de Nova York. Inaugurado no dia 29 de julho de 1882
, em homenagem ao aniversário da Princesa Isabel, o Farol é um instrumento que serve para sinalizar algum perigo no mar e também orientar os navegantes quanto à localização da terra.

Administrado pela Marinha do Brasil, o monumento funciona no centro de um terreno em área militar na Praia de Farol de São Thomé, localizada a aproximadamente 50 km de Campos.

De acordo com a assessoria da Marinha, o Farol é reformado a cada dois anos, sendo efetuado o tratamento de toda a estrutura metálica, visando eliminar os pontos de corrosão. “Para este ano, não está prevista a instalação de nenhum equipamento novo, apenas a manutenção da estrutura metálica e a pintura da torre”, informou.

O tempo de execução da obra é de dois meses. Este ano a reforma começou no dia 13 de abril, com previsão de término em 13 de junho.

A pesquisadora e professora de História Sylvia Paes acredita que depois das cartas náuticas, radares, GPS e outros instrumentos de navegação, os faróis perderam um pouco de sua função sinalizadora de acidentes geográficos.

“Apesar de se perder a praticidade, ganhou em glamour e hoje os faróis de todo o mundo são importantes pontos turísticos eventualmente funcionando para sinalização de pequenas embarcações”, disse.

Como atrativo turístico, o Farol conta com 215 degraus que levam ao topo, proporcionando ao visitante uma vista de todo o litoral.

Sylvia relata que o Farol ainda se encontra em bom estado de conservação por ter sido feito em ferro fundido especial que resiste à ferrugem e montado com chavetas e parafusos, sem soldas. Caso contrário, a maresia já o teria destruído.

A mais de 4 metros de altitude em relação ao nível do mar, o instrumento foi construído em seis meses. Era acoplado a duas casas, demolidas na década de 60 do século passado, onde, em uma delas, funcionou a emissora de rádio local.

A lanterna do Farol, originalmente em cristal, tinha espessura de 3 centímetros e era inicialmente movida a querosene. Tempos depois, uma lâmpada de 1000 watts emitia 8 faixas de luz que giravam em forma de leque e alcançavam 25 milhas — o que representa 46 km —, que moradores dizem ter iluminado até Santo Amaro. Sylvia conta que agora funciona de outra forma.

“Hoje é menos possante, usa vidro e energia elétrica, funciona com energia comercial, mas possui 2 geradores para o caso de falta daquela e ainda funciona a querosene, se preciso. Ele acende de acordo com horário do por do sol e faz a volta completa em 68 segundos”, finalizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário